Mitzrael Girl (mitzrael_girl) wrote,
Mitzrael Girl
mitzrael_girl

  • Location:
  • Mood:
  • Music:

Code Geass - Parte I


Este artigo é altamente parcial, opinativo, e nada jornalístico.

Faz algum tempo já que estou viciada em procurar fanarts de Code Geass, e sempre que chego perto de alguma coisa sobre o anime, tenho uma imensa vontade de voltar a assisti-lo, completo. Mais do que isso, sempre que lembro das personages e das tragédias que aconteceram com eles, dá até vontade de chorar. Até hoje, não tenho dúvidas em dizer que certamente Code Geass foi o melhor anime que assisti até agora. *preciso comentar que é anime e não mangá?*

Eu não posso negar que a série é bem construída, e vai ser impossível não dizer que ela é foda a cada cinco linhas que eu escrever. Mas vou tentar analisar acho que o que tem na série que fez com que tanta gente gostasse dela, e, como eu fiz no artigo sobre Harry Potter, também para saber como muitas pessoas não gostaram dela.

Então, vamos tentar começar, como é de costume, do começo! *legal, né? XD*

O meu amigo fanzineiro/co-roteirista/fotógrafo-nas-horas-vagas, e que sempre discute questões "roteiristicas" comigo me falou uma vez sobre como fazer um mangá/anime capturar a atenção das pessoas. Um mangá/anime só vai fazer sucesso, indiscutivelmente, se um elemento-chave for mostrado no primeiro capítulo, capaz de prender a atenção das pessoas a ponto delas levarem o anime até o final. Como não podia ser diferente, a construção de Code Geass mostrou isso no primeiro capítulo.

Primeiro capítulo de Code Geass: apresentação do ambiente. Logo no começo, os espectadores vão dar de cada com uma narração sobre a atual situação do mundo em que a história vai se passar: ano de 2017, o mundo está sendo controlado por um império denominado império de Brittania. Acho que não tem muita coisa de diferente, claro, hoje não é nenhum segredo se fazer animes com histórias futurísticas, quanto aos detalhes, sempre vão ter coisas novas para diferenciar um pouco, entretanto, eu nem posso comentar, porque não conheço muitos animes futurísticos (na verdade, o único que lembro de já ter assistido foi Code Geass XD). A situação mundial que ele apresenta é realmente a construção de um império e suas colônias, completa segregação social, áreas e pessoas reprimidas que precisam temer ao seu imperador. E claro, dentro de uma sociedade como essa, a coisa mais comum de se acontecer é surgir revolucionários e terroristas, e obviamente que todos esses fatos são mostrados no primeiro capítulo.

Com a explicitação da condição social das personagens, a categoria dos colonos e colonizados, nos quais aparecem os terroristas, vamos para a segunda parte da construção do primeiro capítulo: apresentação das personagens principais. Devido ao ambiente, vamos nos deparar com personagens essenciais que estarão de ambos os lados da sociedade: os nobres e os colonizados. O foco principal desse anime vai ser combater o império, e como não é diferente do que vemos através da história, os rebeldes vão ser sempre controlados por uma pessoa de escalão social considerado mais alto. Mas, não dá pra ver isso exatamente no primeiro capítulo, ali, realmente só vamos notar a aparição dos personagens da trama.

E, finalmente, vamos ao elemento chave. Para todo anime que se concentra em torno de uma guerra, é muito difícil ver um capítulo que não aborde estratégias políticas, ou pessoas matando e morrendo mesmo num flash de cena. Portanto, no primeiro capítulo, vai ter essa ação concentrada em volta da captura de terroristas. Confusões, encontros, desencontros, explosões. Para aí, finalmente, acontecer o ponto que deve chamar a atenção dos expectadores (ou não). O personagem principal vai receber um poder ao final do capítulo, que lhe dará controle sobre as pessoas ao seu redor, de uma forma moderada. Como ele vai usar esse poder, e contra quem ele vai usar, é o que vai definir boa parte do que acontecerá a seguir na série. E daí, há apenas duas coisas que podem impulsionar os expectadores a continuarem assistindo ou não: como ele usará esse poder para se voltar contra o seu próprio governo, sendo ele um nobre; ou, o mistério de onde surgiu esse poder. Se nenhuma dessas características conseguir atrair a atenção de quem estiver assistindo, a probabilidade da pessoa ter vontade de continuar a ver o anime é praticamente zero.

Portanto, independente se o anime é o melhor do mundo ou não, isso é uma questão de gosto, predominante. Uma pessoa só vai poder julgar se o anime é realmente bom ou não, na sua construção de enredo, personagens, situações, se o assistir até o final, e se não se sentir impulsionado a isso, imediatamente vai julgar o contrário, o que acho certamente errado. O fato de um anime não ter capturado a sua atenção pode demonstrar que aquele não é o tipo de mídia para você, mas, ainda assim, pode ser incrivelmente bem feito (ou não, quem sabe? XDD). Claro que como eu gostei muito do anime, vou sempre achar que ele é muito bom, afinal, ele se encaixa muito bem em todas as coisas que me chamam a atenção: dramas pessoais dos personagens, estratégias militares, poderes misteriosos (sem contar que tem um dedo da CLAMP ali e eu e meu amigo duvidamos que ela tenha metido a mão logo, para além apenas do design dos personagens).

Hm... acho que nessa análise eu vou ficando por aqui, como uma breve introdução só. Assim, posso voltar a falar do anime outra hora, com várias e varias outras partes. E com certeza, vou dedicar uma parte ao personagem principal sozinho!

Bom, por agora, é tudo.

Até a próxima parte!

Tags: animes, artigo, code geass
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic

    Your reply will be screened

    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments