Mitzrael Girl (mitzrael_girl) wrote,
Mitzrael Girl
mitzrael_girl

  • Location:
  • Mood:
  • Music:

Sacrifícios Para Amar ~

Wow! Estou hoje aqui, não só pra dar sinal de vida, mas pra cumprir uma promessa com uma das minhas leitoras XD~ O nome dela é Cassia-chan *pelo menos o que ela usa pra assinar as reviews* E está completando aninho hoje, gentem!!! =DD~ Vamos cantar parabéns pra ela, pra ela ficar feliz *_*~

Menina, muitos aninhos de vida <o/ Infelizmente, não dá pra atualizar SpA agora, só daqui a dez dias XDD~ Mas, como eu prometi, aqui está uma preview do capítulo. Espero que aproveite e que não tente me matar por não ter o resto XDDD~ Mas dia primeiro, já vai ter tudo pra ler \o\~

Disclaimer: Inuyasha não me pertence. Faço este fic sem fins lucrativos, apenas por diversão.

Sacrifícios Para Amar
Capítulo Dezessete: Segredos
Dedicado à Shampoo-chan e Palas Lis

 


– Precisamos conversar.

Era tudo o que ele tinha dito, como se fossem velhos amigos acertando as contas do último almoço. Ela ficou parada por um minuto, sem saber exatamente o que fazer, até finalmente suspirar demoradamente e dar espaço para que ele entrasse em sua casa.

– Pode entrar… – Rin disse num tom mais neutro.

Sesshoumaru deu alguns passos para dentro da casa e ela pôde fechar a porta. Ela não teve a mínima vontade de oferecer qualquer coisa para ele, nem que fosse para se sentar. Simplesmente cruzou os braços como uma criança emburrada e encostou-se na porta, olhando para ele, que no momento parava diante da escada, com as mãos nos bolsos. Durante o silêncio que se seguiu, ela o encarou e percebeu que ele parecia um pouco mais pálido… abatido. Devia estar se alimentando mal e trabalhando demais, como sempre fazia… ele era realmente teimoso!

Mas por que diabos estava pensando na saúde dele?! Ele tinha dito que tinha vindo para conversar, então que conversassem… mas ele estava calado até então, por acaso não estaria esperando que se comunicassem mentalmente, não é?

– Bom… o que exatamente vamos conversar? – Rin perguntou, meio receosa. Queria e ao mesmo tempo não queria ouvir o que ele tinha a lhe dizer… estava com medo do que pudesse ouvir, mas tentou não demonstrar nem em sua expressão, nem em sua voz.

– Tudo entre nós está acabado. – ele disse simplesmente, demonstrando que em nada aquilo parecia lhe afetar.

Como ele podia chegar na casa dela, àquela hora da noite e simplesmente falar aquilo de um jeito tão… tão… normal? Ele só poderia estar zombando da cara dela desde muito antes… era a única explicação plausível para tal atitude por parte dele. Mas tinha sido muito direto… talvez direto demais até para a compreensão dela e para seus sentimentos. Sentiu que fraquejaria, pois suas pernas tremiam e ela nem sabia o porquê. A voz falhou por uns segundos e não teve coragem de continuar a encará-lo, sabia que se continuasse, ele notaria a sua fraqueza e aquela era a última coisa que queria no momento, que ele achasse que ela estava sentindo por causa daquilo.

– Eu… – ela hesitou por um momento e repreendeu-se mentalmente por tal fato. – … imaginei que pudesse ser algo como isso.

– Era só isso que tinha para lhe falar. – ele disse, dando alguns passos na direção dela, na direção da porta. – Preciso ir agora.

Como ele poderia ser tão sem sentimentos daquele jeito?! Não podia ser o mesmo homem que ela conhecia, simplesmente não podia! Afinal, o que estava acontecendo com aquele Sesshoumaru que se preocupava com os outros, com aquele Sesshoumaru que se preocupava com ela? Onde ele tinha ido parar?!

Inconscientemente, afastou-se da porta para que ele a abrisse e pudesse ir embora. Sequer quis olhar quando ele estava de costas, preste a rodar o trinco da fechadura… mas vê-lo partindo assim, sem mais nem menos, sem nenhuma palavra adicional… ter partido naquele dia do escritório dele, sem que ele ao menos tivesse tentado se explicar… tudo aquilo estava deixando-a irritada, e talvez não houvesse melhor momento para descontar a sua irritação que aquele.

Quando ele abriu ao menos uma fresta da porta, ela sentiu a voz voltar à sua boca e as palavras saírem sem prévio aviso. Não estava pensando coisa com coisa… mas se quaisquer palavras que proferisse naquele momento, o fizessem ter uma reação mais aceitável, seria tão melhor para ela, para ela se sentir realmente rejeitada… realmente desejada.

– Foi por causa da Kagura-sama, não foi? – ela falou, percebendo que ele parara diante da porta, mas não se virara. – Agora que ela está de volta, não precisa mais da inútil e sensível Rin aqui.

– Kagura não tem nada a ver com isso. – ele disse simplesmente, virando o rosto apenas um pouco, sem ainda poder encarar a garota.

– Claro que não… não tem nada a ver com isso. – Rin disse e estava esforçando-se terrivelmente para poder conter as lágrimas. – Ela simplesmente mora na sua casa, mal chegou de viagem e é tão grudada a você. Parece que ela nem se importava em ficar se esfregando em você mesmo quando eu estava por perto. Está terrivelmente claro que ela não tem nada a ver com isso. É só a minha cabeça formulando hipóteses idiotas.

– Rin… pare com isso. Já disse que ela… – ele não terminou de falar, Rin o atropelara.

– Kagome me disse que eu deveria tentar falar com você… mas como sustentar uma conversa com você?! E por quê?! – Rin disse e parecia estar se descontrolando. Sesshoumaru virou-se mais para poder vê-la. Estava com os olhos vermelhos, mas ainda assim não deixava que as lágrimas caíssem. – Afinal, não há motivo nenhum pra você explicar pra sua namorada porque tem uma mulher deitada em cima da sua mesa de trabalho… isso é completamente normal, afinal, EU COSTUMO FAZER A MESMA COISA!

Ela levou rapidamente a mão até a boca, como se aquele ato pudesse fazer com que as palavras voltassem para as suas cordas vocais. Ainda não conseguia levantar o rosto para olhar nos olhos dourados de Sesshoumaru, mas sabia que ele estava olhando-lhe fixamente, com aquele mesmo olhar inexpressivo e indiferente de sempre… como se simplesmente analisasse sua figura.

– Eu não tenho mais o que fazer aqui.


Booommmmm o resto, só no capítulo mesmo XDD~ Já se foram duas páginas... vamos ver como Rin vai reagir daqui em diante. Então... Cassia-chan, mais uma vez, muitas felicidades para você <o/ Meus parabéns e espero que tenha muitos e muitos aninhos de vida \o\~ Espero que tenha gostado do presente, embora ache que vai querer me matar com isso XDDD *sai correndo*

Kissus... ja ne =*

Até a próxima, pessoal \o\~

Tags: fanfics, presente
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic

    Your reply will be screened

    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 4 comments