Mitzrael Girl (mitzrael_girl) wrote,
Mitzrael Girl
mitzrael_girl

  • Location:
  • Mood:
  • Music:

Falando de Harry Potter...

 Este artigo é altamente parcial, opinativo e nada jornalistico.

Este artigo contém SPOILERS... de acordo com o que eu lembro da Wikipédia, significa que há REVELAÇÕES SOBRE O ENREDO. 8D

Boa leitura.

Bom, eu peguei mania de começar meus artigos/comentários/postagens/whatever com essa frase simpática aí. Desse jeito, deixamos de lado todos os mal-entendidos sobre opiniões alheias e gostos.

E dessa vez, estarei falando da série de Harry Potter, então, tenho que deixar isso ainda mais claro. Eu escrevo originais há quase dez anos, e fanfics há uns quatro anos. Gosto de ler muito também, e ainda faço faculdade de humanas. Mas isso não me faz estar nem perto de ser uma crítica de verdade, então, tudo o que eu vou comentar aqui vão ser acúmulos de informações que eu ainda tenho na minha cabeça desde que comecei a ler Harry Potter e ver os comentários na internet, até o lançamento desse sexto filme, que me fez ter vontade de vir comentar aqui sobre a série.

Início básico: assisti Harry Potter e o Enigma do Príncipe (Harry Potter and The Half-Blood Prince), e o filme é foda. FATO (nem preciso lembrar que o artigo é opinativo, né? XD). Para quem gosta da série ou não, para quem gostou do filme ou não, eu achei a adaptação muito boa. Levando em consideração que eu só li o livro uma vez (ou duas, não lembro) e também os filmes três e quatro (as decepções-mor da série de filmes)... eu achei o filme muito aceitável, e provavelmente o melhor que vi agora, desconsiderando os primeiros, que nem tinham coisa demais pra ser colocada na telinha. O filme colocou todas as cenas principais que eu lembrava ter lido, e as conexões entre as cenas também foram plausíveis, até mesmo a fidelidade delas com o que estava escrito no livro. Lembro do meu namorado comentando sobre a cena da morte do Dumby, ele me disse que tinha sido tão "hã?" mas depois retificou, dizendo que no livro, a cena estava exatamente daquele jeito, então... não tinha muito o que comentar. XD

Se bem que ainda acho que a questão de atores me dá medo... gosto do Snape, gosto do Rony, não gosto do Dumby (por mais que o ator seja bom, eu acho que ele está estragando demais a personalidade incrivelmente ressaltada de uma pessoa "calma" e "controlada", e acho isso desde que ele praticamente bateu no Harry em O Cálice de Fogo, quando o nome dele saiu lá na seleção), AMO a Bella, e mesmo o Voldy não tendo aparecido, o Ralph Fiennes é divino! Sempre que preciso comparar duas coisas absurdamente diferentes adoro falar da atuação dele como Voldy ao lado do Harry tanto no final de O Cálice e de A Ordem da Fênix. Pronto, acho que já se encerrou a saga de atores admiráveis em seis filmes de HP... acho que já é um consenso mundial a desgraça do Daniel Radcliffe como ator e a Emma Watson também não fica muito atrás, e bom, eles são os que mais aparecem no filme. Os coadjuvantes que apareceram com a armada também não são de se prestar atenção (e é o que eu faço, não presto atenção), e os coitados da Ordem, passaram tão pouco tempo ativos que ninguém pode dizer quem sabe atuar e não. Mas saber que os personagens principais da saga são atores miseráveis, já é um péssimo começo...

Mas, entre comentários sobre o filme, de como ele foi foda, como não foi, e como pessoas não queriam ver o filme por terem se decepcionado com a série após o sétimo livro, eu tive vontade de comentar não só sobre esse novo filme, mas sobre a série dos livros. Como eles foram escritos, ou deixaram de ser, o que foi trabalhado ou não, e o que decepcionou as pessoas ou não.

Começando do começo... eu lembro que depois de ter lido o sétimo livro, logo quando ele saiu na internet, eu nem tinha uma opinião própria formada sobre ele, comecei a ler comentários na internet, e de repente, estava comentando como o livro tinha sido um lixo, como não tinha gostado do final e coisas parecidas. Mas bom, eu nem sabia direito do que eu tava falando, não é? E hoje eu até fico um pouco decepcionada quando pessoas comentam tão enfaticamente aquela coisa de "que final foi aquele?", "o sétimo livro foi um lixo", "uma completa decepção". Daí, pra quem não tem a mesma opinião, isso pode ser realmente desagradável... ainda mais porque as pessoas que comentam isso provavelmente não sabem ser compreensivas, e são só fãs que esperavam que o Harry ficasse com a Hermione ou que o duelo final tivesse sido digno de um Dumby x Voldy.

Bom, vamos começar a analisar a série bem lentamente, por pedaços. Harry Potter pode ter virado uma febre no mundo todo e talz, mas não agradou a todo mundo. Primeiro, é uma história bem original. Não estou falando no sentido estrito da palavra, afinal, para quem trabalha com livros, fanfics, filmes, ou qualquer coisa do gênero, sabe que não existe mais o que a gente pode chamar de original. Você pode até achar que a sua historinha é original, mas só porque você não procurou o bastante e entre as sete bilhões de pessoas no mundo que podem ter escrito algo parecido. Uma coisa original hoje é você saber transformar o clichê é uma coisa agradável... bom, eu não sei explicar bem o sentido disso, então é melhor nem tentar para não fazer cagada! XD. Mas... continuando. Por mais que você tente procurar, bom, Harry Potter foi muito bem escrito. A história principal, a base dos livros e todos os detalhes, todos eles tem uma explicação muito boa, e muito coerente também, claro, dentro do contexto do livro (legal seria se fosse fora do contexto *dãh*). A J.K. é uma ótima escritora, e não podemos negar isso.

Uma coisa que um amigo meu me disse há algum tempo e ficou na minha cabeça também, é a questão da evolução das personagens e dos próprios livros. De repente, você chega no sexto livro e o Rony está beijando uma garota diferente em cada corredor aleatório de Hogwarts, sem contar no novo relacionamento do Harry com a Gina, e mais outros de coadjuvantes. Eu lembro que ele me disse que Harry Potter, no começo, foi escrito para crianças, "pré-adolescentes"... mas daí, o público do livro começou a envelhecer junto com os personagens, e então, houve aquela necessidade da J.K. tentar amadurecer os personagens dela também... claro que ia ter uma hora que ela ia ter que fazer isso, mas temos que concordar que o livro vai ficar sempre com o foco na fantasia/magia/aventura/ação/mistério... e é exatamente isso que nos leva a um outro foco: porque será que pouca gente gostou da morte do Dumby?

Bom, temos que admitir... foi uma coisa bem "pah-puft"... Avada Kedavra e lá vai o véio caindo pela janelinha da torre. Tá... não tem nada de emocionante nisso. E eu estive comentando isso também com a minha imouto da internet. Quando eu disse a ela que a morte dele não tinha sido nada demais, apenas o Avada Kedavra, como estava exatamente no livro, ela se decepcionou, era quase como se estivesse esperando um épico tipo Senhor dos Anéis (WHT?!)... e então, uma luz nova se acendeu na minha cabecinha estúpida! Harry Potter não foi feito para ser emocionante. Não foi feito para comover as pessoas... foi feito para animar e fazer todo mundo esperar pela continuação pra ver quem vai morrer no final e como os mistérios vão se desvendar, ponto. Eu não quero falar mal, principalmente da J.K., mas o trabalho na construção dos personagens dela é ótimo! Eu gosto muito da construção do Harry, da Hermione, do Rony, do Snape e do Dumby então, nem se fala... mas é quase como se ela estivesse ocupada demais tentando desenvolver o mistério das horcruxes e da profecia para trabalhar melhor na expressão desses personagens todos. Ela tem tempo de descrever apenas os feitiços, os jogos de quadribol e os duelos fantásticos, além das complicações para desvendar o final da série... mas não tem tempo de trabalhar os personagens a fundo e os momentos-chave de cada um... portanto, sinceramente, ainda não consigo ver uma coisa emocionante nem na morte do Sirius, nem na do Dumby, não vejo nada dramático quando o Harry se aproxima dos pais dele, nem quando lembra, nem quando tem momentos de dor. As histórias do passado são contadas, a ascenção de Voldemort, as coisas dramáticas, como os pais do Neville e os sacrifícios de tantas pessoas, mas para além dessas histórias, o único foco é achar as horcruxes e matar o Voldy, e fim de papo, não tem tempo para ninguém ficar chorando no ombro do amigo (e nem iriamos querer, porque ver o Daniel tentando chorar de novo vai ser o cúmulo do cúmulo!).

Falando de construção de personagens e suas histórias emocionantes que não arrancam lágrimas, tenho que admitir que eu fiquei encantada com o Dumby e o Snape... foram os personagens mais fodas e bem montados que eu vi na série toda, e acho que algumas das cenas mais "tocantes" que eu li foram dentro do passado deles, principalmente o Dumby contando daquele pequeno duelo entre ele, os irmãos e o outro bruxo lá que eu juro que esqueci o nome! XDDDD e que acabou de forma trágica. E falando de mortes, vamos comentar mais duas mortes aqui: a do Snape... "pah-puft". PONTO; a do gêmeo... "ah? Que? Quem? Quando? Um pedaço de pedra caiu? Ah? Morreu?"...

Bom, eu já vi que escrevi demais, então, vou retomar agora um dos pontos que comentei lá em cima, e que eu queria falar desde o começo. O fato "decepção com o sétimo livro da série"... a J.K. cagou tudo lá! Vamos parando um pouquinho pra pensar... o que foi que a J.K. cagou mesmo? Certo, a mulher escreve sete livros com uma teia de aranha muito bem ligada, e de repente, caga no final, acabando com o desejo de inúmeros fãs. Mas é CLARO! Ela não sabia o que estava fazendo... e daí que ela é a autora? Ela simplesmente fumou maconha estragada e matou gente de forma estúpida, sem contar com aquela ceninha tosca do Harry e do Voldy se cercando pra lançarem dois feitiços que se espelharam. Ahhh... os fãs merecem isso, né? Muita idiotice.

Então, vamos comentar um pouco o final da série: J.K. é uma boa escritora. J.K. conhece seus personagens muito mais do que escritores de fanfics (pelo amor de Deus, não estou insultando ninguém! Não levem isso para o lado pessoal!). J.K. sabe o que faz. PONTO. Será que ninguém pára pra pensar por que é que o livro terminou daquela forma? Vamos analisar as opções que ela tinha, também, né...

O sétimo livro foi muito bom, como um todo. Ela começou a desvendar todos os mistérios ao seu tempo, e ainda colocou coisa nova, falando das "Relíquias da Morte", os desentendimentos lá dos personagens também foi bem trabalhado e gostei da maioria das cenas e das cagadas do Harry, além de toda a linha de história que ela colocou ali, por trás da busca das horcruxes, como ela trabalhou para o Harry descobrir quais e onde estavam, as armadilhas... e enfim, nem vou colocar muitos detalhes. Eu achei realmente bom! Mas também, como muitas pessoas, me decepcionei principalmente com o final, ainda mais com aquele cerco do Harry com o Voldy. Porém, nesse momento, dá até pra entender porque é que a J.K. precisou trabalhar muito mais coisa nesse filme, tanto a destruição das Horcruxes quanto o surgimento das Relíquias da Morte. A profecia, desde o começo dizia "um não pode viver enquanto o outro sobreviver" (ou alguma coisa muito parecida. XDD), o que significa que as chances do Voldy matar o Harry eram muito maiores do que o contrário acontecer, então, como o livro trabalha com as definições praticamente perfeitas do "bem" vencendo o "mal" personificados, sempre precisou de uma coisa para o Harry se salvar no último momento. No primeiro filme foi o sangue dele queimando o Voldy, no segundo, foi apenas uma horcruxe destruída, no quarto, o Priori Incantatem (será que era isso mesmo o nome? Não lembro. =O Sei que os fantasminhas lá apareceram pra ajudarem o Harry), no quinto, foi o Dumby, no sexto, Voldy tava ocupado torturando pessoas potencialmente mais importantes, e no sétimo, bom, como tinha que ter alguma coisa para proteger o Harry, então, surgem as Relíquias da Morte e o "senhor da morte". Afinal, se o Harry não fosse o possuidor legítimo de todas elas, ele não teria sobrevivido ao Avada Kedavra do Voldy na floresta, e o feitiço ridículo do expelliarmus não teria repelido o Avada, afinal, aquela varinha das varinhas não queria matar o seu dono legítimo. E a J.K. como criadora dos personagens, sabia, mais do que o resto do mundo reclamão... que em nenhum século o Harry conseguiria ganhar do Voldemort com um duelo digno, que não chegasse nem perto daquele duelo do Voldy com o Dumby no final do quinto livro.

Hoje eu concordo que o livro foi muito bem escrito, gostei do final dele, pode ter sido decepcionante para muita gente, mas era a única escolha que a autora tinha. Ah, claro, havia outra escolha que era muito convidativa pra muitos odiadores do Harry: matá-lo. Claro, a opção é fascinante e eu amaria ver aquilo também... mas, bom, vamos contar todas as desgraças que já aconteceram ao garoto: perde os pais com um ano de idade; é deixado na porta de tios que o odeiam e o maltratam de todas as maneiras possíveis, só podendo sair da casa deles aos 17 anos; tem que enfrentar o bruxo das trevas mais poderoso do mundo pelo menos nos quatro dos sete anos em que ainda está ESTUDANDO magia; além de enfrentar um monte de bichos estranhos que já tentaram matá-lo, incluindo comensais da morte deformados [?]; perde o único parente vivo e de quem finalmente consegue se aproximar um pouco, com uma chance de deixar os tios; perde amigos preciosos ao longo da guerra, incluindo o Dumby, Lupin, Tonks e um dos gêmeos (esqueci quem morre XD); e bom... todo mundo ainda quer que ele morra no final? É tentador... mas acho que ele merece um pouco de paz uma vez na vida. Portanto, não culpo a J.K. por deixá-lo vivo e provavelmente foi a melhor escolha que ela fez, sem deixar de lado, talvez, a parte do filme que agradou até o Papa e fez-lo aprovar o sexto filme de HP: o bem e o mal são muito bem definidos, e o bem sempre vence o mal. É clichê. Muito. Mas é incrivelmente bem trabalhado e tornado em original.

Só pra encerrar, queria comentar apenas uma coisa que meu namorado também me fez perceber no quinto filme. Seria simplesmente divino se o Harry tivesse tomado coragem de verdade pra torturar a Bella depois que ela matou o Sirius, e até mesmo matá-la. Mas eu estava comentando com ele... creio que esse foi o ponto chave para o resto da série: se o Harry realmente tivesse matado uma pessoa, ou mesmo torturado-a, principalmente por vingança... muitos odiadores da sobrevivência dele poderiam ter adorado que ele passasse para o lado do Voldy, porque, eu não sou a J.K., mas concordo com o meu namorado que se ele tivesse sucumbido ali, o papa não teria aprovado nem o quinto nem o sexto filme de HP. XD E creio eu também que... tendo o Harry como a personificação do bem e o Voldy como a personificação do mal... e a coisa pouco trabalhada das emoções... não sei se daria pra expressar com precisão o Harry se tornando mau. Aliás... desde o começo o filme trabalha praticamente que uma pessoa já nasce boa, ou nasce má. Afinal, o Voldy foi criado num orfanato e odiou trouxas... o Harry foi criado com provavelmente os trouxas mais despresíveis do mundo, e ficou bonzinho... engraçado, né?

Bom... falei demais já. Cansei até de digitar.

Eu volto depois... com mais um surto completamente OPINATIVO e PARCIAL! Não impeço ninguém de discordar... só não comecem achando que só porque falei tudo isso, tem que ser um consenso nem que eu estou me colocando acima de alguém ou alguma coisa. Discordem e mostrem seus pontos de vista, vai ser bem produtivo discutir de: "queria que o Harry tivesse morrido" a "acho que ele não morreu por tal motivo".

See ya, guys ;D

Kissus =***
Tags: críticas, enredo, fanfic, harry potter, j.k. rowling, originais
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic

    Your reply will be screened

    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments